1. Bolhas

Como alguns já sabem sou enfermeira especializada em tratamento de feridas. E temos estudos comprovados da eficácia do uso de AGE (ácidos graxos essenciais ) na prevenção e tratamento de lesões cutâneas. E isto se aplica às bolhas que são comuns para nós caminhantes. Então minha dica é :

Para prevenir use óleo de girassol - você pode pedir para manipular com vitamina A e E ou comprá-lo com o nome comercial de Dersane. Também é eficaz no tratamento. Utilize-o em massagens e em bolhas abertas mantenha curativo úmido com óleo e solução fisiológica. Nas lesões abertas experimente óleo de copaíba (farmácias de manipulação).Mantenha a umidade com solução fisiológica. Em qualquer caso não se esqueça de limpeza prévia.

Estes óleos possuem atividade anti-inflamatória e cicatrizante. A vaselina só possui ação lubrificante, diminui o atrito e contribui bastante, mas perde em relação às propriedades cicatrizantes do AGE. (Dica da Míria, de Carangola)

Eu já sofri muito com bolhas.

Uma até já virou calo, mas mesmo assim, se não cuido, aparece a bolha EM BAIXO do calo, pode?
Bom, aprendi um segredinho que nunca mais me deu calos:
antes de começar qualquer caminhada, nos locais onde dão bolhas, colocar esparadrapo (não micropórus, nem aquele fino), mas esparadrapo à la antiga, aquele grosso. Coloque meia de coll max e .... boa caminhada sem bolhas. (Dica da Lourdes, de São Paulo)



As bolhas são causadas pelo atrito da pele com a meia/calçado e o pé úmido pelo suor facilita a formação de bolhas. Se v. costuma ter bolhas no calcanhar, provavelmente é porque o pé não está firme no calçado e faz movimentos de sobe e desce quando v. anda, raspando na parte traseira da bota.
Caso v. já não faça, V. pode experimentar calçar dois pares de meias (uma grossa de coolmax e uma mais fina de algodão por baixo, como grande parte dos caminhantes fazem) e firmar mais a bota (mas não apertar demais a ponto de prejudicar a circulação do sangue na perna.) E vale também a recomendação do Gustavo de tirar a bota e secar o pé, de quando em quando. E a gente aproveita esta pausa para conversar com quem vai passando.

Eu costumo proteger cada dedo do pé, envolvendo-os com esparadrapo, caso contrário, certamente terei bolhas.

E quero alertar a todos os caminhantes que tomem muito cuidado ao sentar sobre os capins em áreas de pastagens. Voltei do caminho com mais de 50 picadas de micuim (fui olhar na enciclopédia que bicho era esse que o pessoal me falou que tinha me picado) e carrapato e elas custam a parar de coçar. As pessoas mais sensíveis chegar a ter febre, por conta do anti-coagulante que estes ácaros injetam quando da picada. Da próxima vez, vou pulverizar toda a roupa, mochila, chapéu e todos os utensílios com carrapaticida antes da viagem. Com certeza existem produtos específicos para prevenção; assim que eu souber, aviso a todos. Como não quis tomar antialérgico, estou até agora com estas lembranças.

Outra dica valiosa: existem agora no mercado brasileiro, várias palmilhas de silicone: para toda a planta do pé, para os dedos, para o calcanhar, etc...
que são ótimas para amortecer o impacto e poupar os pés. São encontradas em casas de produtos ortopédicos. Se v. tiver o pé sensível como o meu, vai ADORAR!

E, se vocês me derem licença, aqui vai a última dica: para os caminhos de sol quente, um pano branco, leve (fralda) MOLHADO na cabeça, como os palestinos alivia BASTANTE MESMO o calor. (Dica da Júlia)